DICAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Como ajudar seu filho a desenvolver as funções executivas?

Tente fazer o seguinte teste com o seu filho: coloque um doce (ou algo que desperte grande interesse da criança e seja de satisfação imediata) em frente à criança e explique que vai se ausentar por algum tempo e que, se na sua ausência, ele não comer, receberá o prêmio em dobro quando voltar. Quanto tempo você acha que seu filho aguentaria esperar? Esse teste, conhecido como O Experimento do Marshmallow é famoso e é aplicado desde 1972 por inúmeros pesquisadores e psicólogos para analisar a capacidade de autocontrole. Ele foi realizado pela primeira vez na universidade de Stanford, pelo doutor Walter Mischel, com crianças em fase de desenvolvimento (entre 4 e 6 anos de idade).

Apesar de parecer simples, o teste é eficiente do ponto de vista científico para mapear diversos comportamentos ligados a capacidades cognitivas que geram reflexos na vida adulta. O interessante é que essa habilidade de controlar um impulso de satisfação em troca de uma recompensa maior e outras que geram traços de personalidade que serão importantes no futuro podem ser estimuladas na infância.

Além do autocontrole, as chamadas funções executivas englobam ainda a memória de trabalho (capacidade de guardar na memória uma informação que pode ser usada mais tarde) e a flexibilidade criativa (capacidade de pensar de maneira criativa e se adaptar a novas situações). Conjuntamente, essas funções permitem que a criança possa planejar, raciocinar, prestar atenção e realizar múltiplas tarefas importantes para ter êxito na escola e na vida.

A aquisição dessas ferramentas mentais é um desafio para crianças com diagnóstico de autismo, déficit de atenção ou hiperatividade e é necessária para desenvolver outras habilidades, como a de adquirir novos conhecimentos e a alteridade (de colocar-se no lugar do outro). Dotada dessas competências, a criança tende a ser um adulto mentalmente, emocionalmente e socialmente saudável e mais capacitado para lidar com as adversidades.

De fato, o exercício das funções executivas é para toda a vida, mas é significativamente expressivo em dois momentos-chave: dos 4 aos 6 anos e na adolescência.

Nesta fase da infância, os pais podem ajudar os filhos com atividades e jogos simples, como fazer com que executem tarefas antes de desfrutar de uma recompensa, mostrar como problemas grandes e difíceis podem ter soluções pequenas e fáceis e aprender a se posicionar positivamente diante de tarefas difíceis. Aprender uma segunda língua ou a tocar um instrumento também colaboram para desenvolver as funções executivas.

download

 Como estimular as funções executivas?

– Mantenha uma relação positiva com seu filho para ajudá-lo a se preparar melhor para lidar com situações estressantes, o que, por sua vez, o ajudará a desenvolver suas funções executivas.
– Seja afetuoso e sensível às necessidades do seu filho.
– Use métodos brandos de disciplina, como dialogar com ele e pedir ou sugerir educadamente quando você quer que ele faça ou deixe de fazer alguma coisa.

– Incentive seu filho a ser independente, ajudando-o em suas atividades somente quando ele precisa.

– Tente manter atividades domésticas e rotinas consistentes e organizadas.
– Seja paciente quando seu filho pequeno tiver um comportamento rebelde (por exemplo, recusando-se a colocar o casaco antes de sair quando está fazendo frio, comendo um biscoito mesmo se você tiver dito a ele para não o fazer).

– Seja realista a respeito do que ele pode fazer em diferentes idades. Por exemplo, quando a criança começa a escola, ela ainda não é capaz de se planejar com antecedência para fazer seus deveres. À medida que seu filho crescer, ele entenderá por que é importante reservar tempo para fazer os deveres de casa.

– Incentive seu filho a se envolver em brincadeiras sociais de faz-de-conta com outras pessoas – especialmente brincadeiras em que ele precise assumir um papel e se adaptar à “história” conforme ela vai mudando.
– Escolha para ele jogos de computador e cognitivos que ajudem a desenvolver as funções executivas.

– Incentive seu filho a fazer ioga, meditação, música, artes marciais, dança ou atividades aeróbicas. Escolha atividades que sejam suficientemente desafiadoras para mantê-lo motivado.

– Pergunte ao professor da educação infantil como ele está se ajustando ao participar das atividades diárias (por exemplo, seguir instruções, controlar seus impulsos).

– Sempre levando em conta a idade de seu filho, fique atento aos sinais de funções executivas deficientes (por exemplo, dificuldade de prestar atenção, comportamentos impulsivos), pois eles podem indicar que seu filho está tendo dificuldades de desenvolvimento ou de aprendizagem.

 

Internet: <www.ebc.com.br>.